Month: outubro 2019

DOENÇAS VENOSAS

Márcio A. Steinbruch

A DV constitui grave problema de saúde pública, não só por sua alta prevalência, mas por seu impacto socioeconômico.A Doença Venosa (DV) compreende um conjunto de sinais e sintomas que abrange desde as telangiectasias até úlceras abertas, em consequência da hipertensão venosa crônica em todos os seus graus, causada por refluxo e/ou obstrução.

Atingindo cerca de 20% da população adulta em países ocidentais, com 3,6% de casos de úlcera ativa ou cicatrizada na população adulta, é, segundo dados oficiais no Brasil, a 14ª causa de afastamento temporário do trabalho.


O Sistema Único de Saúde chega a gastar mais de 43 milhões de reais em cirurgia de varizes. Nesses levantamentos, não estão incluídos os dados do Sistema de Saúde Suplementar e Privado.

Em pessoas saudáveis, o sangue venoso flui principalmente das veias superficiais (localizadas abaixo da pele) para as veias mais profundas, que estão na camada dos músculos. Uma vez dentro das veias profundas, o sangue vai para cima, em direção ao coração e pulmões, para ser reoxigenado.

Por assumirmos uma posição ereta, o sangue utilizado pelas pernas sobe pelas veias contra a gravidade, sendo impulsionado neste sentido por mecanismos de bombeamento que utilizam a musculatura da panturrilha (“barriga da perna”) e válvulas no interior das veias, para que o sangue não volte para baixo.

Um defeito nas válvulas associado a situações que exijam a permanência prolongada em pé, faz com que o sangue suba mais devagar, pare ou volte na contramão (em direção aos pés), aumentando assim a pressão no interior das veias. Esta situação pode provocar dor, sensação de cansaço ou peso nas pernas e inchaço. É o apare
cimento de doenças venosas.

Estas doenças podem se manifestar por diversas formas. Nas varizes (dilatação) o “calibre” das veias aumenta, tornando-as visíveis através da pele. Para muitos leigos, é uma situação apenas antiestética, mas, na realidade, não é. Elas podem gerar vários tipos de complicações como úlceras (feridas), por exemplo.

Em muitos casos, as varizes são imperceptíveis por estarem bem mais abaixo da pele. Por serem ainda pequenas e pelo menos 60% dos pacientes não sentirem dor, um individuo pode não saber que é portador de varizes e, por isso, não buscar tratamento.

Quando o sangue não consegue circular com boa velocidade onde há dilatação, ele coagula ocorrendo inflamações e obstruções das veias: a tromboflebite ou simplesmente trombose. Isto pode levar a uma complicação maior ainda, a embolia pulmonar, que é quando um veias-varicosas1pedaço do coágulo se solta e viaja pela circulação até obstruir os vasos dos pulmões.  Esta situação é muito grave, pois pode levar à morte.

Ao menor sinal de doença venosa, esta deve ser tratada. A prevenção é muito importante.

Como a maioria das afecções venosas se inicia pelas varizes, por menores que sejam, está indicado tratá-las até mesmo antes da gravidez. No tratamento precoce, o efeito funcional é melhor e esteticamente se consegue resultados muito mais agradáveis e, principalmente, são prevenidas complicações venosas.