Month: novembro 2019

VARIZES NA GESTAÇÃO

Márcio A. Steinbruch

Ao contrário do que muitos pensam, a gravidez não faz as varizes surgirem do nada; ela piora um problema já existente, causado, provavelmente, pelos fatores de risco.

Em muitos casos, as varizes são imperceptíveis por estarem bem mais abaixo da pele e serem ainda pequenas. Pelo menos 60% das pessoas não sentem dor, portanto a gestante não sabe que é portadora de varizes.

Com seu agravamento durante a gestação, fica a impressão de que a gravidez  as gerou, mas na verdade só as agravou.

Antigamente, era preciso aguardar todas as gestações de uma mulher para tratar as varizes. Isso agravava de tal modo a doença varicosa que o efeito estético do tratamento era praticamente ineficaz, ficando manchas e marcas indeléveis na pele das pernas.

Hoje em dia, se diagnosticadas, as varizes, por menores que sejam, recebem a indicação de tratamento mesmo antes da gravidez. Assim, o efeito funcional do tratamento é melhor, apresenta resultados estéticos muito mais agradáveis e –  mais importante – ajuda a prevenir complicações venosas durante a gravidez.

varizes-na-gravidez1aNa gestação, é comum que se tornem visíveis varizes ou microvarizes, principalmente após o quarto mês, em razão das alterações que acontecem no corpo da mulher.

A causa para o agravamento das varizes está relacionada à ação dos hormônios, necessários para a manutenção da gestação, associada ao peso do bebê. A pressão que o útero gravídico exerce sobre a veia cava (veia que passa ao lado da coluna vertebral, levando o sangue venoso de volta ao coração) é um obstáculo para a circulação de retorno venoso, que se acumula e dilata os vasos sanguíneos dos membros inferiores. Grandes quantidades de estrogênio e progesterona apresentam efeito vasodilatador.

Todas essas alterações no sistema circulatório associado à retenção de água são responsáveis pela sensação de cansaço e o inchaço nas pernas durante a gestação. A partir do segundo trimestre de gravidez, o volume de sangue da gestante aumenta.

O tratamento das varizes só deve ser iniciado após o parto. Mas é possível tomar algumas medidas preventivas para controlar este problema durante a gestação. É importante fazer atividade física leve, como hidroginástica e caminhada, evitar ao máximo excesso de pressão sobre suas pernas, não ficar muito tempo em pé, colocar as pernas ligeiramente elevadas ao sentar para facilitar a circulação sanguínea de retorno, usar meias elásticas e controlar o ganho de peso.

Entre 60 e 90 dias após o parto, o corpo da mulher volta quase ao normal e as varizes tendem a diminuir. No entanto, uma grande quantidade de gestantes, que tiveram veias dilatadas nos membros inferiores durante a gravidez, permanecerá com o problema em algum grau e terá necessidade de tratamento.

De 30 a 60 dias já se pode instaurar o tratamento das varizes, seja clínico ou cirúrgico.